Candem Town & Amy Winehouse

sábado, julho 23, 2016


 Há 5 anos uma alma brilhantemente talentosa nos deixou. Há 5 anos alguém que preencheu de um jeito enorme uma ótima fase da minha vida se foi. Mais uma vez, esta foi uma das artistas que eu demorei muito tempo para apreciar o trabalho dela mas quando o fiz; fiquei totalmente preso entre a arte e o seu mundo.
 A Amy fez parte do meu ano de 2011 e 2012; depois de muito tempo sendo recomendada pela minha melhor amiga dizendo sempre que eu adoraria o estilo dela. Dito e feito! Se tornou uma das minhas cantoras preferidas da época e sua poesia – apesar de na maioria das vezes mostrar as confissões sobre as dores da alma e o sufoco criativo pelo qual ela passou – me inspirou muito e ainda me inspira. Fiquei muito feliz por poder ter visto, em maio, a exposição "Amy Winehouse: A Family Portrait" no Museu Histórico Judaico em Amsterdam e agora, em julho, pude ir ao bairro onde ela morou, trabalhou e infelizmente morreu em Londres: Candem Town.



 Candem Town é um distrito em Londres e por lá é onde muita coisa alternativa acontece! Na Chalk Farm Road é onde tem muitas feiras e mercados de rua; lá se vende artesanato, chápeus, roupas, comida e é onde tem a melhor opção para comprar souvenires com um ótimo preço! Também era em um dos quiosques de Candem Market onde Amy costumava trabalhar antes da fama.
 Por lá se encontra a estátua de bronze em sua homenagem! Foi feita em 2014 por Scott Eaton e inicialmente foi proposta de ficar em um antigo galpão, onde hoje é um local para shows, chamado Roudhouse mas realmente está na Stables Market porque tem melhor localização. Falando nisto, dentro da Stables não tem nenhuma indicação sobre onde fica a estátua; mas é só seguir rumo às escadas que levam ao subsolo (sem descer!) porque está bem perto das grades.


Eu e minha miga Amy! <3
  Ainda pelos arredores, saí das feiras rumo à casa dela. Eu esperava por um prédio de grandes proporções ou até mesmo um tanto ostentadora. Mas não! O catinho dela, na Candem Square 30, é pequeno e o bairro calmamente acolhedor. Com casas bonitas, muitas árvores pelas ruas e em frente à sua casa tem um parque. Por ali é possível encontrar várias mensagens deixadas pelos fãs em homenagem ou até mesmo perucas! E sempre vai existir um brazuca para gerar algum meme, né? Teve até uma mensagem com "Miga, sua louca! Você era um máximo! [...]". Cadê a pessoa maravilhosa, que se chama Cris, que escreveu esse bilhete? Quero ser amigo! Hahaha :D





 E antes disto, tive o prazer de conhecer a exposição "Amy Winehouse: A Family Portrait"; com curadoria do seu irmão Alex Winehouse,  no Museu Histórico Judaico de Amsterdam. A narrativa vai além do superficial ou foco nos problemas vividos por ela; permitindo ao público de apreciar um pouco da sua história e vida pessoal. Mostrando ênfase no seu gostos musical, seu vestuário, contando sobre a história judaica de sua família e o seu jeito artisticamente hiperativo nos tempos de escola. É um arquivo confidencial cheio de fotos familiares, roupas, cds e até mesmo o seu primeiro violão! Também conta com uns dos grammies que ela já ganhou! Vendo os seus vestidos dá para notar o quão magra esteve nos perídos de 2007 e afins e isto me deu um grande aperto no coração.




 Apesar da grande tristeza da data, acho que seja um ótimo momento para escutar as músicas dela e se lembrar dos bons momentos de sua vida. Todo artista precisa de espaço, assim como ela sempre quis, e a inspiração e a criação são coisas que preenchem muito a vida – não só de quem a produz – mas também daqueles que a apreciam. Com certeza a admiração pelo trabalho dela durará por muitos mais anos.

Que descanse em muita paz e um grande obrigado por sua arte! <3

Até logo! :)

Talvez Também Goste de

0 commenti